Na azáfama dos presentes de Natal: o que é realmente importante?!

2

Category : Bem-estar

ikea-ikea-the-other-letter-600-34275

O materialismo e o consumismo marcam o nosso tempo e o Natal perdeu, de certa forma, o seu sentido real e profundo. É certo que o estar em família mantém-se como a matriz da festa, à roda de uma mesa onde o bacalhau e o perú são os pratos principais. A Sagrada Família  e específicamente o nascimento de Jesus, é e será sempre a razão pela qual festejamos o Natal e daí a importância de montar o presépio em casa com a colaboração de todos.

Mas os presentes tomaram conta do Natal duma forma exacerbada alterando-lhe em certa medida o verdadeiro sentido, e são na verdade os pais quem criam e incentivam esta realidade.

Aqui em Portugal no dia 24 ou no dia 25, conforme os hábitos das famílias, em Espanha no dia 6 de Janeiro, o dia de Reis, receber e oferecer presentes transformaram o grande evento natalício a um ponto que as compras se tornaram num imperativo altamente stressante. Para as crianças é a grande espectativa de receber isto, aquilo e mais aqueloutro. A crise recente terá refreado um pouco a loucura, mas a ideia, essa continua…

Muito a propósito, a IKEA lançou uma campanha desafiando para o exercício de descobrir o que é realmente importante quando uma criança faz os seus pedidos através de uma carta, em Portugal ao Pai Natal, em Espanha aos Reis (Magos), e depois disso, uma outra carta aos seus pais…

A esta campanha chamou A outra carta e vale a pena ver… O que é realmente importante?!

O bem estar também passa por aqui

1º Domingo do Advento: abrindo o caminho para o Natal com amor e bem estar

Category : Eventos

CoroaAdventoHoje é o primeiro Domingo do  Advento o tempo durante o qual preparamos a festa do Natal, muito para lá do que é material, mas essencialmente no que representa como festa especial do Amor, da Família, da Fraternidade. Este é o primeiro dos quatro Domingos do  Advento, as quatro semanas em que se prepara o Natal, como a própria palavra indica no seu significado latino adventus que quer dizer chegada. Advento é portanto o tempo de espera  mas também de preparação para o nascimento de Jesus em que os cristãos celebram o Amor, a Família, a Fraternidade.

O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Hispânia. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI quando a Igreja  Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse também com solenidade, como se preparava a Páscoa embora a Páscoa tenha sido sempre a celebração mais importante. Nessa altura o  tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido  para quatro domingos, tal como hoje celebramos.

Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, pela sua forma circular, simboliza a esperança e convida à alegria. Ao que se sabe, a coroa teve a sua origem no século XIX no norte da Alemanha e os católicos adotaram mais tarde este costume da coroa do  Advento, já no início do século XX. Na confecção da coroa são usados ramos de  pinheiro e cipreste, as únicas árvores cujos ramos não perdem as folhas no outono  e estão sempre verdes, mesmo no inverno. Os ramos verdes simbolizam a vida que permanece, sinal evidente de Fé e Esperança. Formando um circulo, a coroa traduz o simbolismo da figura sem começo nem fim,  representando a perfeição, a harmonia, a eternidade.

Na coroa também são  colocadas quatro velas referentes a cada domingo que antecede o Natal. A luz vai  assim aumentando à medida que se aproxima o Natal, festa da Luz que é o nascimento de Cristo. A cor das quatro  velas, em quase todas as partes do mundo, é geralmente a cor encarnada se bem que, por vezes, quando se usam velas roxas uma delas é cor de rosa pois no Terceiro Domingo do Advento (Gaudete), assim como no quarto Domingo da Quaresma  (Laetare) celebra-se a Alegria cuja cor litúrgica é o cor de rosa.

Preparemos pois o Natal com amor e bem estar

A outra carta…aquela que é realmente importante este Natal.

Category : Exercício

ikea-la-otra-carta00

O materialismo e o consumismo marcam o nosso tempo e o Natal perdeu, em certa medida, o seu sentido real e profundo. É certo que o estar em família mantém-se como a matriz da festa, à roda de uma mesa onde o bacalhau e o perú são os pratos principais. A Sagrada Família  e específicamente o nascimento de Jesus, é e será sempre a razão pela qual festejamos o Natal.

Mas os presentes tomaram conta do Natal duma forma exacerbada alterando-lhe o verdadeiro sentido. Aqui em Portugal no dia 24 ou no dia 25, conforme os hábitos das famílias, em Espanha no dia 6 de Janeiro, o dia de Reis, receber e oferecer presentes transformaram o grande evento natalício, de tal maneira, que as compras se tornaram num imperativo altamente stressante. Para as crianças é a grande espectativa de receber isto, aquilo e mais aqueloutro. A crise terá refreado um pouco a loucura, mas a ideia, essa continua…

Muito a propósito, a IKEA lançou este ano uma campanha em que se faz o exercício de descobrir o que é realmente importante quando uma criança faz os seus pedidos através de uma carta, em Portugal ao Pai Natal, em Espanha aos Reis (Magos), e uma outra carta aos seus pais…

A esta campanha chamou A outra carta e vale a pena ver… O que é realmente importante?!

Feliz Natal com muito bem estar.

Desejamos um Natal cheio de Bem Estar!

Category : Bem-estar

E eis que hoje é já o quarto Domingo do Avento: acendemos a última das 4 velas do Natal, celebramos a luz de Cristo que chega a todos sem excepção.

A todos os nossos leitores, clientes e amigos desejamos um Santo Natal, perto daqueles que vos são mais queridos e cheio de bem estar!

Ana e João

Bem Estar no Advento: preparamos o Natal com Amor

Category : Informação

VELAS ADVENTO

Sempre com o espírito do Bem Estar presente relembramos o Advento que hoje começa e durante o qual preparamos a festa do Natal, muito para lá do que é material, mas essencialmente no que representa como festa especial do Amor, da Família, da Fraternidade. Este Domingo é o primeiro dos quatro Domingos do  Advento, as quatro semanas que antecedem o Natal no Ano Litúrgico. A liturgia do Advento caracteriza-se pela preparação, como a própria palavra indica no seu significado latino adventus que quer dizer chegada. Advento é portanto o tempo de espera  mas também de preparação para o nascimento de Jesus em que os cristãos celebram o Amor, a Família, a Fraternidade.

O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Hispânia. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI quando a Igreja  Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse também com solenidade, como se preparava a Páscoa embora a Páscoa tenha sido sempre a celebração mais importante. Nessa altura o  tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido  para quatro domingos, tal como hoje celebramos.

Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, pela sua forma circular, simboliza a esperança e convida à alegria. Ao que se sabe, a coroa teve a sua origem no século XIX no norte da Alemanha e os católicos adotaram mais tarde este costume da coroa do  Advento, já no início do século XX. Na confecção da coroa são usados ramos de  pinheiro e cipreste, as únicas árvores cujos ramos não perdem as folhas no outono  e estão sempre verdes, mesmo no inverno. Os ramos verdes simbolizam a vida que permanece, sinal evidente de Fé e Esperança. Formando um circulo, a coroa traduz o simbolismo da figura sem começo nem fim,  representando a perfeição, a harmonia, a eternidade.

Na coroa também são  colocadas quatro velas referentes a cada domingo que antecede o Natal. A luz vai  assim aumentando à medida que se aproxima o Natal, festa da Luz que é o nascimento de Cristo. A cor das quatro  velas, em quase todas as partes do mundo, é geralmente a cor encarnada se bem que, por vezes, quando se usam velas roxas uma delas é cor de rosa pois no Terceiro Domingo do Advento (Gaudete), assim como no quarto Domingo da Quaresma  (Laetare) celebra-se a Alegria cuja cor litúrgica é o cor de rosa.

Preparemos então a celebração de mais um Natal com Amor e Bem Estar.

Bem Estar no Advento: preparamos com Amor o Natal

Category : Espiritualidade

Sempre com o espírito do Bem Estar presente relembramos o Advento que agora começa e durante o qual preparamos a festa do Natal, muito para lá do que é material, mas essencialmente no que representa como festa especial do Amor, da Família, da Fraternidade. Este Domingo é o primeiro dos quatro Domingos do  Advento, as quatro semanas que antecedem o Natal no Ano Litúrgico. A liturgia do Advento caracteriza-se pela preparação, como a própria palavra indica no seu significado latino adventus que quer dizer chegada. Advento é portanto o tempo de espera  mas também de preparação para o nascimento de Jesus em que os cristãos celebram o Amor, a Família, a Fraternidade.

O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Hispânia. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI quando a Igreja  Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse também com solenidade, como se preparava a Páscoa embora a Páscoa tenha sido sempre a celebração mais importante. Nessa altura o  tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido  para quatro domingos, tal como hoje celebramos.

Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, pela sua forma circular, simboliza a esperança e convida à alegria. Ao que se sabe, a coroa teve a sua origem no século XIX no norte da Alemanha e os católicos adotaram mais tarde este costume da coroa do  Advento, já no início do século XX. Na confecção da coroa são usados ramos de  pinheiro e cipreste, as únicas árvores cujos ramos não perdem as folhas no outono  e estão sempre verdes, mesmo no inverno. Os ramos verdes simbolizam a vida que permanece, sinal evidente de Fé e Esperança. Formando um circulo, a coroa traduz o simbolismo da figura sem começo nem fim,  representando a perfeição, a harmonia, a eternidade.

Na coroa também são  colocadas quatro velas referentes a cada domingo que antecede o Natal. A luz vai  assim aumentando à medida que se aproxima o Natal, festa da Luz que é o nascimento de Cristo. A cor das quatro  velas, em quase todas as partes do mundo, é geralmente a cor vermelha se bem que, por vezes, quando se usam velas roxas uma delas é cor de rosa pois no Terceiro Domingo do Advento (Gaudete), assim como no quarto Domingo da Quaresma  (Laetare) celebra-se a Alegria cuja cor litúrgica é o cor de rosa.

Preparemos então a celebração de mais um Natal com Amor e Bem Estar.