Bem Estar para 2017: prepare meticulosamente o novo ano!

2

Category : Bem-estar

f52cee1f-e4b5-480a-a32d-b327867d87edEis que perante um novo ano que começa, já fizemos um balanço do que passou e preparamos com entusiasmo uma nova etapa: nada como agarrar a oportunidade para estabelecer o compromisso de fazer melhor, mudar o rumo, programar objectivos concretos, alcançar metas; a atitude é essencial e o poder da mente é bem maior do que pode imaginar!

É fantástico porque chegamos a esta altura e todas as possibilidades estão em aberto, a vontade de fazer mais e melhor é evidente. A visão é clara, o ano que vem será sempre melhor do que o que passou! Este ano chega agora ao fim, trouxe desafios, alguns mais difíceis mas, com esperança e confiança, projectamos que o novo ano entre no caminho certo que  nos aproxima das nossas metas. Este tempo de transição de um ano para outro apresenta-se sempre como a oportunidade de delinear os objectivos, aquilo que queremos mesmo fazer e para isso nada como, numa folha em branco, escrever exactamente quais as metas a atingir.

Há que escolher, o bem estar é mesmo uma escolha; não caia na tentação do pessimismo pois certamente, o mal que acredita que está para vir, chegará. Também poderá ficar na espectativa, sem que esteja muito claro o que virá, a vida fará as suas curvas, terá os seus altos e baixos, com mais ou menos impacto conforme quiser deixar que isso lhe afecte muito ou pouco… Melhor mesmo é decidir como quer que seja, e fazer tudo para que seja melhor. Inspire-se naqueles que fazem bem e melhor.

Em linguagem de marinheiro, para não andarmos à deriva e podermos chegar a bom porto, é importante termos um destino, aprovisionarmo-nos, estabelecer um curso, traçar uma rota, definir uma data de chegada e… soltar as amarras. Poderemos cruzar a fúria dos oceanos, as calmarias dos trópicos, navegar por mares nunca antes navegados mas sempre com a  determinação de cumprir a missão e a vontade de alcançar o destino definido, chegar a bom porto.

Defina os seus objetivos, solte as amarras e Bom Ano de 2017, cheio de bem estar!

 

 

 

O inspirador testemunho da Irmã Guadalupe: missionária pelo bem estar dos outros

Category : Informação

a-freira-que-nao-recuouCom frequência nos questionamos o que é que nos move a cada um de nós, o que me move a mim pessoalmente? Para lá da fé, no meu caso um factor essencial no caminho da vida terrena, invariavelmente procuro inspiração naqueles que por principio fazem bem aquilo que se propõe fazer. Porque na verdade, cada um de nós pode sempre fazer mais e melhor e, não sendo nenhum de nós perfeito, nada como encontrar na vivência de outros, modelos inspiradores.

A Irmã Guadalupe está em Portugal a convite da Fundação Ajudar a Igreja que Sofre e este fim de semana deu o seu testemunho inspirador na Paróquia do Estoril; na prática, a sua simplicidade, enorme fé e capacidade de entrega pelos outros mostram que amar o próximo como a si mesmo não é apenas um chavão lançado um dia por Jesus Cristo… O princípio é, afinal, simplesmente pôr amor em tudo o que fazemos.

15095046_10207301164267106_4258655604695821497_nTodos nós temos imensas opiniões e falamos com facilidade e à vontade sobre a guerra, os conflitos mundiais a que assistimos praticamente em directo pelos meios de comunicação social, podemos até mostrar a nossa preocupação, a nossa indignação; a verdade é que estamos do “lado de cá”, não temos de fugir do cruzamento de balas, não temos bombas a cair à nossa porta, a destruir as nossas casas, a matar a nossa família, os nossos amigos…

As notícias entram pelas nossas casas ou nos cafés, onde quer que seja, num confortável sofá, à mesa em plena refeição, ou talvez sentados ao computador. O horror é chocante mas quase entrou numa normalidade. Somos beneficiados de qualquer forma, não nos afecta directamente, a vida e a rotina diária continuam.

Extraordinário e ao mesmo tempo surpreendente é ouvir o testemunho de alguém que, na adversidade entrega a sua vida pelo bem estar dos outros. A Irmã Guadalupe mostra-nos como o ser humano pode ser surpreendentemente bom, disponível e ajudar a quem precisa, neste caso em situações absolutamente dramáticas; estes exemplos de bondade e entrega é que nos inspiram e movem; percebemos que também nós podemos replicar, ainda que noutra escala ou noutro contexto. E sabemos que o contrário também é possivel na maldade e na indiferença, pois, mas não é nada disso que nos move!

O bem estar passa mesmo por aqui

Human, o filme: um retrato expressivo e abrangente de pessoas de coração aberto…

Category : Eventos

humanthemovie-maishaflix-medium_0

Há precisamente dois anos esteve em Lisboa a espectacular exposição de Yann Arthus-Bertrand no Museu da Electricidade designada 7 Mil Milhões de Outros e sobre ela muito se falou e escreveu pela sua singularidade, pelo seu impacto, pelo realismo da profundidade do ser humano retratado na sua verdade. A partir deste trabalho o fotógrafo francês realizou um grande documentário que na origem tinha mais de 7 horas de duração e, para que podesse ser visto pelo público também em salas de cinema/espectáculos, acabou por ser reduzido a cerca de duas horas e vinte minutos numa short version. Cerca de duas mil pessoas em todo o mundo de diferentes paises e culturas foram entrevistadas sobre diversas vertentes da vida desde o amor ao sofrimento, das alegrias às contrariedades, da felicidade à violencia, num retrato individual de coração aberto, olhos nos olhos, que não deixa ninguém indiferente.

Ontem no Centro Cultural de Belém foi apresentada esta versão seguida de uma sessão de questões e debate com o próprio Yann Arthus-Bertrand acompanhado por Jorge Braga de Macedo e Pedro Rebelo de Sousa. A produção deste documentário contou com o financiamento das Bettencourt Schueller Foundation e GoodPlanet Foundation o que permite que possa ser vista de forma gratuita no YouTube.

A exibição do filme Human, ontem no CCB, contou com o apoio da Claude & Sofia Marion Foudantion, Air France, Insitut Français, NOS Entre Iguais, CCB,  bem como do Projecto Memória parceiro da GoodPlanet Foundation; foi um sucesso numa experiência incrível desde logo pelo impacto da projecção num grande ecrã com imagens impressionantes que levaram a plateia ora às lágrimas, ora a momentos divertidos, ora ao absoluto espanto da natureza no seu explendor.

Não perca, o bem estar também passa por aqui

 

Sustentabilidade e bem estar: a mãe natureza no seu explendor!

Category : Sustentabilidade

wolf-pack-yellowstoneMuito a propósito de bem estar, lembramos que a questão da sustentabilidade, longe de ser apenas a batalha de uma minoria, tem mesmo muita razão de ser; se pensarmos que alguns erros podem ser fatais no ecossistema, é bom saber que corrigir esses erros pode trazer grandes beneficios na sustentabilidade do nosso planeta.

No Parque Nacional de Yellowstone os lobos foram extintos pela caça e  estiveram ausentes cerca de 70 anos e, por mais incrivel que possa parecer, isso provocou a longo prazo uma alteração no ecossistema daquela imensa área, pois o numero de veados aumentou muito uma vez que desaparecera o animal que os caçava. Apesar dos esforços humanos para controlar o seu crescimento, com o tempo os veados foram destruindo grande parte da vegetação.

Em 1995 voltou a introduzir-se uma comunidade de lobos no Parque de Yellowstone e o impacto tem sido extraordinário; além de ter travado o crescimento dos veados veio alterar radicalmente o seu comportamento. Os veados começaram a evitar as zonas onde podiam ser mais facilmente apanhados, nos vales, e a vegetação nessas áreas começou gradualmente a regenerar-se; e de tal forma que em certas zonas as árvores voltaram a crescer e algumas quintuplicaram de tamanho em meia duzia de anos. Com esta efusão vieram, a pouco e pouco, comunidades de passaros e de castores. O numero de coiotes por sua vez diminuiu porque também servem de alimento aos lobos e em consequencia cresceram as comunidades de coelhos e ratos aumentando a presença de doninhas, falcões, raposas e texugos. O mais impressionante é que todas estas alterações desde que os lobos voltaram a estar presentes no parque e com a regeneração da floresta, o curso dos rios consolidou-se de outra forma e esse foi o título que deu nome ao pequeno filme que vale a pena ver aqui: How wolves change rivers

É de facto impressionante.

O bem estar passa mesmo por aqui

 

Lifestyle e Bem Estar by Pestana CR7

1

Category : Informação

pestana-cr7-funchal-banner-(1)-636041922630647252
A marca Pestana CR7 Lifestyle Hotels abriu ao público no dia 1 de Julho no porto do Funchal a sua primeira unidade num conceito inovador e bastante apelativo; este mês de Agosto abre na Baixa de Lisboa, seguindo-se no ano que vem as aberturas na Gran Via em Madrid e em Nova Iorque (perto de Times Square) num total de cerca de 500 quartos em quatro destinos icónicos e de grande procura turística.
Com o lançamento da marca Pestana CR7 o portefólio do Pestana Hotel Group passa a contar com 4 marcas distintas: Pestana Hotels&Resorts, Pestana Collection Hotels, Pestana Pousadas de Portugal e Pestana CR7 Lifestyle Hotels.

Com um novo conceito de hotel virado para o lifestyle e o bem estar este hotel conta com um programa de treino personalizado idealizado pelo próprio Cristiano Ronaldo, a melhor inspiração para se poder estar em forma; dificilmente conseguirá um six-pack após a primeira sessão mas a ideia é pelo menos desenvolver todos os dias a vontade indomável de treinar, ser persistente fazer mais e melhor até começar a ver os resultados que procura. Os quartos têm yoga mats para que possa complementar o treino funcional.

A nivel de cuidados nutricionais os pequenos-almoços oferecem várias superfoods para dar ainda mais energia ao seu dia e os smoothies matinais dão-lhe o shot essencial de vitaminas e nutrientes para sair das férias com espírito vencedor: seja o melhor na espreguiçadeira, o melhor na sauna, o melhor no ginásio ao ar livre, o melhor nas festas e o melhor no rooftop porque afinal, o espírito competitivo também se estende às férias, provavelmente as melhores de sempre.

Pode aproveitar ainda para ver três bolas de ouro, quatro botas de ouro, as 50 medalhas e mais de 200 troféus de todas as competições; não, não dá para os levar para casa, mas pode sempre tirar uma fotografia com o Cristiano Ronaldo ou, pelo menos, com uma das suas figuras em cera: o Museu CR7 está aberto para si de forma grátis.

Se ficar exausto depois de ser confrontado com o imenso sucesso desportivo do CR7, volte para o hotel e peça um dos serviços Magic Spa on demand, uma maravilha com todos os produtos e tratamentos da gama Magic Spa, especialista em beleza, recuperação e relaxamento que vão ter consigo ao quarto… Viva uma experiência luxuosa e sofisticada, de preferência com uma flute de champanhe por perto, enquanto o sol se põe no seu picture perfect day.

O Pestana CR7 Funchal é o novo hotspot da cidade, um espaço único, vibrante e contemporâneo, que convida à mistura entre hóspedes e locais com vontade de beber um copo ao final da tarde. Deixe a noite correr ao ritmo do dub-step, do deep house e das correntes musicais que se ouvem nos melhores rooftops do mundo, ao sabor dos cocktails que os mixologists  criam como verdadeiras obras de arte.

Até os hambúrguers ou as pizzas em vez de fast são mais tipo fancy: a fancy smart food mistura as mais recentes tendências foodie com produtos regionais para uma experiência de sabor única. Todas as sandwiches que saborear serão em bolo do caco e todas as pizzas serão criadas por un vero pizzaiolo napoletano. As saladas healthy e os pequenos-almoços conscientes transformam as opções mais saudáveis em autêntica superfood.

O ambiente muda no Off-Side, o rooftop bar tem a melhor vista do Funchal; a infinity pool sobre a baía e o porto de cruzeiros cria um spot unico num novo estilo de férias. Para quem gosta de animação, as festas e DJ sets animam os sunsets e convidam a ficar até tarde, a saborear um champanhe ou um cocktail.

imagesO bem estar passa mesmo por aqui

Eis que mais de 3 milhões de visitas depois continuamos a celebrar o Bem Estar!

Category : Bem-estar

DSC_9269

Decididos num rumo a dois na área do bem estar lançámos um dia o nosso blog apregoando aos quatro ventos O bem estar é uma escolha. Tome as decisões certas!

Hoje, mais de três milhões de visitantes já passaram por aqui e encontraram ideias, práticas, caminhos, soluções para o seu bem estar. Se ainda não se apercebeu, há pequenos milagres que estão simplesmente ao alcance de cada um de nós e dependem da sua vontade: pondo amor em tudo o que faz, cuidando da sua alimentação, dando umas boas gargalhadas, fazendo mais e melhor por si e pelos outros, partilhando…

Obrigada a todos os nossos leitores que ao passarem por aqui encontram uma luz no seu percurso de bem estar. Bem Hajam!

Lembre-se, o seu bem estar e daqueles que estão perto de si depende, em grande medida e sobretudo, de si.

O bem estar passa mesmo por aqui

A humanidade, o sentido da vida e o bem estar

5

Category : Gratidão

meaningO ser humano na sua essência é sempre o mesmo, agora e desde há muito tempo, apesar da evolução natural dos tempos, apesar das culturas dos povos poderem ser muitissimo diferentes; no essencial, na estrutura mental, no comportamento, somos todos idênticos seja quem for e onde for.

E isso é possivel observar nos dias de hoje, que qualquer um por exemplo nos confins de Africa, Asia ou América do Sul, tem ansiedades, manifesta sentimentos e emoções, exprime dor e sofrimento, alegria e júbilo da mesma forma que outro qualquer na Europa ou na América do Norte.

A mega experiência a nível global feita ao longo de 3 anos por Yann Arthus-Bertrand e reunida no filme Human mostra a humanidade na diversidade, atraves de perguntas respondidas nas palavras genuinas de cada um. Vale a pena mergulhar nesta incrível viagem que nos leva ao mais profundo na manifestação do amor, do sentido da vida, do perdão, da dor, da alegria, do humor, a quase tudo o que um ser humano é capaz de chegar.

Screen Shot 2016-05-11 at 17.14.49Mas o sentido da vida é sobretudo dar à vida um sentido.

O bem estar também passa por aqui.

Celebremos a Santa Páscoa de coração aberto e com bem estar

Category : Espiritualidade

207421_1982439881827_6586764_n

A Semana Santa é para os cristãos a Semana maior. E diz-se assim não porque seja cronologicamente maior do que as outras, como se tivesse mais dias, mas porque nela os cristãos celebram com intensidade o mistério mais profundo e mais importante a partir do qual toda a realidade adquire sentido. Mais ainda: cada dia da semana santa, e muito especialmente o tríduo pascal (paixão, morte e ressurreição), tem uma tal densidade que concentra em si todo o sentido da história…

Hoje, Quinta-feira santa, celebra-se a última Ceia e a agonia de Jesus no jardim da Oliveiras; amanhã, a Sexta-feira santa é o dia de luto que representa a entrega de Jesus por nós, morrendo na cruz. Sábado Santo é o dia do silêncio de Deus no sepulcro e nesse mesmo dia à noite e Domingo de Páscoa é a celebração da vida eterna.

A Páscoa, do hebraico Pessach que significa passagem, é na verdade a festa cristã mais importante do calendário litúrgico em que se celebra a Ressurreição de Jesus Cristo depois da sua morte na cruz (ver Sexta Feira Santa)

É uma festa móvel no sentido em que nunca se celebra na mesma data uma vez que se define Sexta Feira Santa, o dia da morte de Jesus na cruz, na primeira Sexta após a primeira lua cheia que ocorre depois do equinócio da Primavera  no hemisfério norte e equinócio de Outono no hemisfério sul; nesse Domingo festeja-se a Ressurreição. A Santa Páscoa poderá assim ocorrer entre 22 de Março e 25 de Abril.

Na verdade, Jesus celebrava a Páscoa hebraica com os apóstolos na ultima ceia, a festa da libertação que comemorava a fuga dos judeus da escravidão no Egipto por volta de 1280 a.C. O momento foi de partilha e humildade com os seus amigos apóstolos, a quem lavou os pés num gesto simbólico, revelador e indicador dos cuidados que podemos naturalmente ter com os outros; foi um gesto de bondade, ternura, humildade e generosidade que marcou para sempre os que O seguem e acreditam que a bondade expressa se reflecte em cada um e nos outros.

Celebremos pois de coração aberto e com bem estar mais uma Santa Páscoa

A vida perpetuada na memória…

2

Category : Informação

12715539_1115131451838681_5998832450289842863_nPara quem tem realmente fé, morrer não é perder a vida, é trocá-la por uma outra, eterna e numa outra dimensão; esta é para alguns, certamente não é para todos, uma possivel forma de encarar a partida deste mundo, o fim da vida terrena.

É sempre um momento delicado, o sentimento de perda que se tem quando nos confrontamos com a morte física de alguém; regra geral lidar com a partida dos que nos são queridos e chegados, família ou amigos, conhecidos ou até pessoas que não conhecemos pessoalmente mas ouvimos falar, como não ficar triste, sentir a dor?! Complicado sem dúvida quando não se sabe bem lidar com a tristeza profunda; por vezes é mesmo o passar do tempo que ajuda a sarar a dor, porque a saudade fica sempre e a memória mantem-se no coração, em fotografias, em estórias que ficaram para contar. Se pensarmos, é curioso como esta é a forma da pessoa que partiu permanecer viva entre nós, de cada vez que é lembrada, de cada vez que se contam estórias, de cada vez que se partilham fotografias e momentos vividos. Assim se perpetua a sua vida no tempo terreno, assim se passa de geração em geração a memória de antepassados, de amigos, de figuras conhecidas, de ídolos.

Quem não gosta de relembrar momentos, estórias divertidas, viagens, tanta coisa que fica para poder partilhar com outros e que, na maioria das vezes, com o tempo vão caindo no esquecimento…

Online já podemos encontrar um site de memoriais, o RIPACE onde é possivel o usuário registar uma pequena biografia de alguém que já partiu, para já apenas memoriais públicos de acesso a todos, de pessoas mais ou menos conhecidas; em breve terá novas funcionalidades como o poder criar memoriais privados que queira para partilhar só em familia, ou com amigos, ou com colegas de trabalho, de escola etc. Ao criar um memorial de uma avó, de um irmão, de um colega etc., poderá partilhar com um grupo restrito de pessoas mais próximas, perpetuando a sua vida em fotografias, inumeras estórias contadas por aqueles com quem conviveu, coisas que com o tempo têm tendência a dispersar ou a perder.

Faz sentido manter viva a memória de quem já partiu seja como homenagem, seja para perpetuar a sua vida. Passe pela pagina no facebook ou faça uma visita ao passado que se prolonga no presente e no futuro em ripace.com

O bem estar também passa por aqui

 

 

 

 

Teresa de Saldanha, o lema e a prática: fazer o Bem, sempre.

Category : Notícias

I14Passaram, no dia 8 deste mês de Janeiro, 100 anos que Madre Teresa de Saldanha partiu da vida terrena onde deixou uma obra, já na época, de grande alcance.  Tivemos o privilégio de acompanhar este fim de semana a extraordinária comemoração em sua homenagem organizada pelas irmãs Dominicanas em Fátima, com uma missa celebrada pelo Senhor Cardeal D. Manuel Clemente na Basílica da Santíssima Trindade, um almoço na Casa das Irmâs Dominicanas e um evento no Centro Pastoral Paulo VI onde, além de vários membros da família Saldanha descendentes do seu irmão e sobrinhos, estiveram alunos da escola de S. José de Benfica e respectivas famílias, assim como representantes de diversas casas da congregação de varios pontos do país, participando igualmente através de gravações em filme, todos os centros espalhados pelo mundo desde Albânia, Angola, Moçambique, Timor, Estados Unidos, Brasil, Paraguai: deveras impressionante! À data da sua morte corria já a fama de santidade de Madre Teresa e até então fundara  27 casas sendo 17 em Portugal, 6 no Brasil, 1 na Bélgica, 2 nos E.U.A. e 1 em Espanha. O seu lema e pratica que tem inspirado tantos, chega ao coração de muitos pelo mundo: fazer o bem, sempre

Actualmente decorre o Processo de Canonização de Madre Teresa de Saldanha: aberto em Portugal a 6 de Novembro de 1999 encerrou a 17 de Novembro de 2001 e foi posteriormente entregue em Roma a 14 de Fevereiro de 2002.

A sua vida foi marcante pela obra que deixou e hoje, passado tanto tempo já, os frutos da sua fé, entrega e perseverança continuam a chegar a tantas pessoas. Numa época em que não era nada comum uma senhora tomar as rédeas de qualquer iniciativa que fosse e nem sequer seria bem vista ao fazê-lo, num tempo em que a própria igreja estava enfraquecida, Teresa de Saldanha foi a primeira mulher fundadora de uma congregação religiosa em Portugal após o regime liberal ter decretado a extinção das ordens religiosas em 1834.

De personalidade forte, determinada, organizada, uma notável capacidade de liderança e de trabalho, culta e piedosa, imprimiu os seus valores em todas as acções que realizou ao longo da vida, movida pela sua grande paixão a Deus e dedicação aos mais desprotegidos tendo-se tornado numa grande figura feminina que se adiantou ao seu tempo.

Proveniente de uma família nobre, Teresa nasceu no dia 4 de Setembro de 1837 no Palácio da Anunciada, na Rua das Portas de Santo Antão em Lisboa. Filha de João Maria do Sacramento de Saldanha Oliveira Juzarte Figueira e Sousa e de Isabel Maria de Sousa Botelho, terceiros condes de Rio Maior, foi baptizada no dia seguinte ao seu nascimento na Capela do Palácio da Anunciada e, em 1848, fez a Primeira Comunhão no altar de Nossa Senhora da Conceição, na Igreja dos Inglesinhos, em Lisboa.

De estado de saúde débil e preocupante Teresa foi acompanhada desde cedo com a permanente presença e dedicação da mãe que teve um papel preponderante na sua orientação ensinando-lhe letras (português, história, francês, inglês e alemão), os princípios da música e da arte colaborando com professores particulares escolhidos por si e  iniciando-a na prática da misericórdia através da Associação de Nossa Srª Consoladora dos Aflitos que fundou em 1849 dedicada ao socorro das famílias que viviam na pobreza.

Em 1855, com dezoito anos, ao pintar o Ecce Homo, Teresa sentiu o primeiro apelo místico e fez voto de castidade e um ano mais tarde redigiu um escrito onde declarou claramente a sua opção de exclusividade a Deus e ao serviço dos pobres.

Dirigiu o Colégio de Stª Marta para Meninas Pobres, apoiado pelas Filhas da Caridade de S. Vicente de Paulo uma comunidade de freiras francesas que se encontravam em Portugal exercendo a sua missão de atender aos pobres e desprotegidos. Em 1859 fundou em Lisboa com algumas amigas e dirigiu durante toda a sua vida a Associação Protectora das Meninas Pobres com Estatutos aprovados pela Santa Sé, a 21 de Abril de 1863, que veio a estar na origem da fundação, daquela que teve depois grande alcance pelo mundo, a Congregação Portuguesa das irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena em 1868.

Dedicou-se assim à educação de crianças pobres, à alfabetização e promoção de raparigas operárias através de aulas externas trabalhando  em grande medida com as irmãs da caridade francesas que, subitamente em 1862, foram expulsas de Portugal, deixando Teresa inconformada com a situação que abria uma grande lacuna assistencial. Teresa já tinha manifestado à sua mãe o desejo de ser religiosa e à sua cunhada, a Marquesa de Rio Maior, a intenção de ingressar nas Irmãs da Ordem Terceira de S. Domingos, em Stone/Inglaterra onde já tinha sido aceite contudo, o pai opusera-se completamente à sua saída para o estrangeiro; ao mesmo tempo ela própria via a necessidade do seu país e o chamamento de Deus em fundar uma congregação que se dedicasse ao serviço dos mais pobres e desfavorecidos da sociedade.

“Cheia de desejos de me consagrar ao serviço de Deus, vendo grandes dificuldades em obter dos meus pais licença para deixar para sempre Portugal; vendo também a necessidade de estabelecer em Portugal uma ordem religiosa ativa, que se ocupasse de pôr em prática todas as obras de misericórdia, comecei a pensar profundamente no ano de 1864, tinha eu 27 anos de idade, como seria possível pôr em prática os meus ardentes desejos, seguindo em tudo e por tudo a Vontade de Deus… Mas Deus que me inspirava estes desejos e que sabia bem o meio de os pôr em prática, olhava sem dúvida para mim com ternura, do alto da Sua grandeza, servindo-se das minhas dúvidas e vendo ser fácil o que a mim me parecia impossível! 

(Notas particulares da M. Teresa de Saldanha)

68040_372960279448757_627999955_nSó em 1887 conseguiu realizar o seu sonho quando tomou o Hábito e iniciou o Noviciado a 18 de Abril com o nome de Irmã Teresa Catarina Rosa Maria do Santíssimo Sacramento. Fez a Profissão Religiosa a 2 de Outubro e foi nomeada a primeira Superiora Geral da congregação a 9 de Novembro, com licença especial de Breve de 21 de Dezembro de 1887 emitida pelo Papa Leão XIII. Estes acontecimentos culminaram com a tomada de posse do cargo de Superiora Geral no dia 15 de Janeiro de 1888 e, mais tarde, em 2 de Outubro de 1892, com a Profissão Perpétua.

Teresa de Saldanha distinguiu-se também na pintura onde aprendeu com os mestres Mr. Leberthais (carvão) e Tomás José da Anunciação (aguarela e óleo), revelando grande talento para pintar paisagens, retrato ou motivos profanos e uma preferência pela iconografia religiosa. Deixou obras de grande qualidade pictórica que foram estudadas por alguns especialistas, como António Quadros numa conferência proferida em 1988, nos 150 anos do seu nascimento, na Fundação Calouste Gulbenkian, intitulada Romantismo e Misticismo na Pintura de Teresa de Saldanha. Destacam-se nas suas obras: dois auto-retrato e vários retratos de família (primeiros carvões, 1851), Ecce Homo (1855-1856), carvões, aguarelas e óleos (1856), Painel do Sagrado Coração de Jesus e S. João Baptista (Goa, 1865), Santa Brígida (Convento das Inglesinhas, 1865), Nossa Senhora e o Menino Jesus (Hospital de S. Luís das Irmãs da Caridade Francesas, 1865), Painel em honra da Beata Maria dos Anjos (1865), as últimas produções pictóricas (1869), a Mater Dolorosa e Santa Rosa de Viterbo.

Deixou também um grande espólio literário de escritos pessoais e de circunstância, nomeadamente notas autobiográficas e das suas memórias, orações, cartas, relatórios e contas. Morreu com fama de santidade numa pequena casa alugada na Rua Gomes Freire, n.º 147, em Lisboa, no dia 8 de Janeiro de 1916 com setenta e oito anos, completamente despojada dos seus bens que lhe tinham sido retirados com a implantação da República. As exéquias foram realizadas na Igreja do Corpo Santo, em Lisboa e o seu corpo foi sepultado no jazigo da congregação no Cemitério de Benfica, na mesma cidade, onde hoje repousa.

A sua memória, que continua viva nos corações tocados pela sua bondade e perseverança, serviu ao longo dos anos de inspiração à realização de diversas comemorações relacionadas com a sua vida e obra e com a congregação que fundou, através da publicação de livros, biografias e artigos, fotografias, conferências, exposições, peregrinações, programas de rádio e televisão, dramatizações.

Fazer o bem, sempre. O bem estar passa por aqui