Testemunho – Cellagon aurum

Category : Uncategorized

Não sei desde quando uso o Cellagon Aurum. Deve saber através dos seus registos.

Abençoada a pessoa (médica) que me aconselhou a toma de tal produto.

Vou explicar:

Há cinco anos submeti-me a uma mastectomia ao que se seguiram tratamentos de quimioterapia e radioterapia.
Passados dois anos, infelizmente, tive uma recidiva e, novamente, tive de me submeter a tratamentos violentos, tendo de ser internada devido a uma neutropenia grave.

Penso que foi nessa ocasião que me aconselharam o V/produto, passando a tomá-lo diariamente.

Depois de vários exames complexos, posso afirmar que neste momento e desde Janeiro, não tenho nenhuma célula maligna activa. Ainda a semana passada o meu oncologista referiu-me o seguinte:

– Conseguiu estes resultados devido ao seu óptimo estado físico.

(…)

Não tenho dúvidas que esta vitória, se deve, também, ao V/ produto.

Muito obrigada.

Lucília P. C.

Testemunho – Lourenço Pereira Coutinho, escritor

Category : Uncategorized

Tive o meu primeiro contacto com os sumos Cellagon em 2003. Na altura, tomei-os de forma indisciplinada, pelo que não beneficiei totalmente do muito que me podiam oferecer. Voltei a experimentá-los há cerca de seis meses, e desta vez com vontade de respeitar as doses e tempos recomendados. Ao fim do primeiro mês de toma, comecei a sentir alguns dos seus efeitos positivos, sobretudo menos cansaço e mais energia, o que se repercutiu muito favoravelmente tanto a nível físico, como psíquico. Hoje, não dispenso o Cellagon Aurum, que contribuiu para o meu bem estar geral, nem o Cellagon Vitale, que ajuda a manter-me concentrado nas muitas horas e dias que passo a pesquisar e a escrever. Os sumos Cellagon já fazem parte da minha rotina diária, e contribuem sem dúvida para a minha qualidade de vida.

Lourenço Pereira Coutinho – escritor

Testemunho – Margarida Rebelo Pinto, escritora

5

Category : Uncategorized

“Tenho 45 anos e todos aqueles que me conhecem sabem que, apesar de gostar muito de trabalhar e de fazer desporto, nunca tive uma constituição forte, nem aquilo a que se chama uma saúde de ferro. Andava sempre cansada, sobretudo durante a gravidez, mas como nunca me tinha sido detectado nenhum problema grave, pensei sempre que era da minha constituição ser assim.

Aos 41 anos sofri um AVC Isquémico do qual, felizmente, não tive sequelas. A origem do meu AVC estava na existência de uma

deficiência cardíaca congénita – CIA, Comunicação Inter Auricular – uma válvula do coração que nunca chegou a fechar, através da qual o sangue venoso se misturava com o arterial. Posteriormente, fui operada ao coração e essa falha foi corrigida e deixei de correr perigo. Mas o cansaço nunca ais me deixou, apesar dos médicos me terem dito que provavelmente iria melhorar.

Há cerca de um mês comecei a tomar o Cellagon Aurum depois de uma longa conversa com o Joao Saldanha sobre as minhas limitações e a minha alimentação. Sou muito regrada nos meus hábito alimentares, não fumo, praticamente não bebo álcool, ou seja,  como tudo o que se deve comer, mas não tinha consciência de que, apesar de todas as saladas e frutas que ingiro, estas não possuem os nutrientes necessários porque são criadas em estufas, muitas vezes nem sequer crescem em terra e além disso são colhidas antes do tempo.

A conversa com o Joao foi muito útil, porque me apercebi que o que estava a fazer pela minha saúde não era o suficiente.

Pouco tempo depois de ter iniciado a dose diária de Cellagon Aurum, comecei a sentir-me melhor: tenho menos fome, durmo melhor e sobretudo sinto-me muito menos cansada. Antes, era raro o dia em que não me sentia exausta antes da hora do jantar. Agora, a energia que tenho durante o dia já não se esgota de repente. E o balanço geral ao fim de uma semana é muito mais positivo; cada vez tenho mais dias em que me sinto bem e menos dias em que me sinto cansada. E aquela sensação frustrante de não ter energia nenhuma desapareceu!  Sinto-me melhor, com mais energia, e espero continuar assim durante muito tempo :)”