Para chegar mais longe é preciso ver mais longe!

Category : Nós aconselhamos

Há coisas que nos passam literalmente à frente dos olhos, e não as vemos… Ver não é simplesmente olhar!

A complexidade da visão merece a maior atenção na medida em que está muito além daquilo que vemos com os olhos, implica também o que a visão alcança com o cérebro, essa é uma grande verdade…

A visão desenvolve-se após o nascimento e é influenciada pelo ambiente visual mas também pela experiência de cada um; conforme os estímulos que o sistema visual duma criança recebe assim se vai desenvolvendo entre um nível que pode ir desde o sofrível ao óptimo.

As actividades visualmente exigentes como a leitura ou o estudo, por exemplo, podem ser desconfortáveis, frustrantes ou mesmo ineficientes determinando, inevitavelmente, um rendimento fraco. Com frequência, o défice de atenção e hiperactividade que exigem uma medicação específica, são a avaliação errada de simples problemas visuais que estão a contribuir para parcos progressos e insucessos de desenvolvimento. Às vezes o que pode parecer falta de interesse por parte duma criança resulta apenas da incapacidade de conseguir focar correctamente os caracteres… Até pode parecer que um aluno tem uma boa acuidade visual, contudo os problemas de aprendizagem podem estar  entre o funcionamento da visão e o cérebro ou seja, no modo de recolher e interpretar a informação visual: vai da simples incapacidade de ver ao perto (focagem ocular) até à incapacidade para visualizar ou interpretar o que é visto!

A dificuldade é mesmo identificar os sintomas pelo que convém dar a maior atenção aos pequenos sinais.

Consulte toda a informação através do site ver mais longe

O bem estar também passa por aqui.

 

 

Desengane-se: o leite de vaca não é essencial para a sua saúde!

Category : Nós aconselhamos

A indústria de lacticínios gasta uma fortuna em campanhas publicitárias (caso da campanha bigodes de leite com figuras famosas)  para convencer o comum dos mortais de que o consumo de leite é essencial para a saúde; na verdade e pelo contrário, estudos científicos atestam que para os adultos o consumo de leite animal pode estimular doenças coronárias, obesidade, diabetes, cancro de mama, próstata e cólon, osteoporose, algumas doenças da retina e dos rins, diabetes tipo 1 em crianças predispostas, alergias… Afinal, sabe-se hoje, o leite deve ser evitado, sem qualquer prejuízo para o organismo.

Mesmo quando não se tem alergias, o leite é mal digerido e frequentemente intolerado no tracto intestinal e o problema vai muito além da intolerância à lactose. De facto, com o tempo o consumo de leite acabou por se tornar num fenómeno cultural e industrial, e consequentemente num negócio de enorme volume.

Espalhou-se assim pelo mundo, o mito do leite baseado na crença de que é rico em proteínas e cálcio e portanto essencial para a saúde, especialmente dos ossos; parece no entanto que são mais as mazelas que cria na saúde do que os benefícios. O que acontece na realidade é que, não só o corpo humano é incapaz de absorver o cálcio do leite de vaca (especialmente pasteurizado), como surpreendemente, ficou já provado que o leite pode aumentar as perdas de cálcio nos ossos, ao contrario daquilo que as grandes campanhas da industria leiteira transmitem…

Assim, o correcto é que o leite de vaca seja para vitelos que, ao contrário dos humanos, deixam de o consumir definitivamente uma vez que estejam crescidos. O mesmo acontece aliás com todos os mamíferos à face do planeta; cada espécie de mamífero gera o leite que serve exactamente para a sua espécie, num tempo determinado.

Para quem insiste em manter o leite na sua dieta fique pelo menos a saber que aquele que se compra no supermercado está muito longe de ser saudável. As vacas leiteiras recebem diariamente hormonas de crescimento e de simulação de gravidez para aumentar a produção de leite, bem como antibióticos vários para diminuir infecções provocadas pelos mais variados mecanismos e químicos a que estão expostas e naturalmente o leite está repleto de todas essas substâncias.

A excepção vai para os lacticínios naturalmente processados e sem adição de açúcares ou adoçantes, livres de acidez e que os estudos atestam que têm francos benefícios para a saúde humana, como o iogurte e alguns queijos.

O bem estar passa por aqui, evite ou modere o consumo de leite pela sua saúde!

Sabe que as escovas de dentes usadas podem ser recicladas? Pois, o bem estar também passa por aqui!

2

Category : Sustentabilidade

A sustentabilidade está na ordem do dia e é claramente uma das forma de chegarmos a um bem estar desejável a todos; as preocupações ambientais são inevitáveis para o futuro deste planeta que habitamos e cada um de nós pode fazer a diferença em cada gesto, já pensou bem?

O dia a dia exige a cooperação de todos nas mais pequenas coisas para que se garanta um futuro melhor e felizmente há muitas pessoas envolvidas em dinâmicas verdadeiramente úteis: não são apenas campanhas de sensibilizaçao mas sim processos que estão já em prática!

O EcoEscovinha é um desses casos, um projecto de responsabilidade social que visa a reciclagem das escovas de dentes além da promoção da escovagem regular e eficaz e a troca de escova de 3 em 3 meses. É uma forma de promover estilos de vida saudáveis, o bem estar de todos e de cada um, e nada como começar junto dos mais novos!

O Programa EcoEscovinha faz parte do projecto “Miúdos Optimistas, Miúdos Saudáveis!” que foi implementado em Outubro de 2012 e tem uma forte componente de Responsabilidade Social. Além dos vários programas que envolvem os miúdos, pretende-se levar as pessoas de um modo geral a canalizar as escovas de dentes usadas para reciclagem e poderem ser transformadas em mobiliário urbano.
Do “Miúdos Optimistas, Miúdos Saudáveis!” fazem parte os seguintes programas:

– “Sorrir é Bom e Dá Saúde” – Acções de sensibilização para a Promoção da Saúde Oral em escolas e instituições parceiras;

– “Para Passageiros de 1ªX” – Clínica Aberta a “Miúdos” do pré-escolar e 1ºano que visa desmistificar o consultório dentário através de actividades lúdicas e pedagógicas;

– “Bolsa de Mérito de Saúde Oral” – Oferta de consultas de Saúde Oral a um “Miúdo” do Secundário que se destaque pelo seu mérito. A selecção é da responsabilidade da escola parceira;

– “EcoEscovinha” – Programa de motivação para a recolha e reciclagem de escovas de dentes que serão transformadas em mobiliário urbano.

Visite a página Facebook/Ecoescovinha promova a dinâmica e passe à prática!

O bem estar passa por aqui!