Vai um pão com azeite ou um queijinho de Serpa?

Category : Portugal

Decorreu este fim de semana a Feira do Queijo do Alentejo, como é habitual todos anos, na bonita Vila alentejana de Serpa. Num tempo em que a economia portuguesa atravessa tempos muito complicados, mais do que nunca é importante a promoção do consumo dos produtos nacionais. Os consumidores fazem o mercado e Portugal tem excelentes produtos à disposição: pão de confecção artesanal, o azeite, a fruta, o queijo e requeijão, o mel etc.

A produção de azeite em Portugal também cresceu graças a um esforço notório dos produtores. Veja aqui como as boas noticias também correm.

Ao fazer a lista das compras escolha o melhor que temos, evite os produtos importados e os embalados industriais; acredite que é melhor para a sua saúde e já agora para a saúde do nosso país.

Pão alentejano com azeite, torrada com requeijão, tostinha com queijo de Serpa, um pequeno copo de vinho e uma laranja da época, como diria o outro, What else?

Tudo com moderação, claro!

O bem estar também passa por aqui.

A Amortalidade um sinal dos novos tempos: viver mais, com qualidade!

Category : Saúde

 

Todos os meses partilhamos um post com o Blog ConsultaClick; veja no Consultaclick como é simples a marcação de consultas online!

Em 2011 uma jornalista americana, Catherine Mayer pôs-nos a reflectir sobre o conceito que expôs num artigo seu “Forever Young”, capa da revista Time. Dentro daquilo que temos sustentado em relação à longevidade e ao Bem Estar, C. Mayer refere-se à Amortalidade no sentido em que, cada vez mais se vive sem a preocupação da idade ou seja, os diferentes estádios da vida que convencionalmente se consideravam como a infância, a adolescência, a juventude, a idade adulta, a meia idade, a idade da reforma, a idade de ouro, a velhice, etc., são clichés que têm vindo a perder significado.

É verdade que vivemos hoje em média, mais 30 anos do que no inicio do século XX; a esperança de vida tem vindo a aumentar gradualmente embora se saiba que, em princípio, isso não quer dizer que a espécie humana se torne imortal!  A Microbiologia confirma que as células, uma vez que apenas se podem dividir um número limitado de vezes, mesmo que se tenha a melhor saúde do mundo toda a vida, a morte do corpo físico é certa e o limite será, mais ou menos ao que tudo indica, os 120 anos! Ao que se sabe, a pessoa que mais tempo viveu chegou aos 122 anos; Jeanne Calment morreu em França em 1997!

O sentido da idade, as regras sobre o comportamento correcto e apropriado à idade são actualmente desafiados por uma postura diferente que já muitas pessoas têm perante a vida e que preenche aquilo a que C. Mayer chama Amortality, não com o significado convencional de sem vida mas sim sem idade ou, na expressão em inglês, ageless.

Também Jane Fonda no seu livro Prime Time: Love, Health, Sex, Fitness, Friendship, Spirit  –  Making the most of all of your live nos fala  de uma  revolução da longevidade. Diz a eloquente actriz que a longevidade é mais que evidente pois estamos a viver em média cerca de 30 anos mais do que no século passado e uma vez que foi adicionado mais um ciclo inteiro de vida de adulto à espectativa de vida é bom que o vivamos da melhor forma possivel!

É verdade que ainda não nos adaptámos totalmente a essa realidade  e que estamos numa transição de paradigma; a tendência é mesmo encarar a idade, não como uma patologia, um declinio mas sim um terceiro acto da vida com enorme potencial de bem estar e felicidade.

Delicie-se com a intervenção de Jane Fonda no TED (aqui) e prepare-se bem para o terceiro acto da vida!

O Bem Estar é uma escolha, tome as decisões certas.

 

 

A nutrição “inteligente”: investimento seguro no bem estar…

1

Category : nutrição

Hoje no Blogdobemestar partilhamos o nosso post com o site All 4 Running que se dirige essencialmente a atletas.

Indiscutivelmente o papel dos legumes e da fruta no regime alimentar diário é essencial. Em função do desgaste de cada um e dependendo de variados factores, precisamos de ter entre 5000 e 15000 unidades ORAC por dia (oxygen radical absorbance capacity ou seja a capacidade de absorção dos radicais livres de oxigénio). A melhor maneira de obter estas unidades ORAC é através de frutas, de legumes e de plantas, de preferência colhidos em pleno estado de maturação, orgânicos, provenientes de uma agricultura controlada. Devemos, antes de mais, ser exigentes ao escolher o que se compra! Comer bem não é comer muito, é comer de forma inteligente e saudável. Para quem pratica desporto por exemplo, a exigencia é ainda maior pois o desgaste físico é também maior.

O segredo está na fruta, legumes, cereais e tantas coisas boas que há à disposição para se ter aquilo que é preciso para estarmos bem alimentados e com um sistema cardiovascular em ordem. Evitar a todo o custo os erros alimentares é meio caminho para ter a “maquina” a funcionar na perfeição. Veja aqui como os constantes erros ao longo duma vida causam estragos completamente evitáveis e que se pagam, muitas vezes com a vida…

Eis aqui algumas dicas essenciais:

1 – Reduza o sal

Constantemente acrescentamos sal à comida preparada: na água que ferve para fazer a sopa, ou sobre os alimentos no prato, ou no fabrico do pão, porque temos sal e nos acostumámos ao sabor do sal com o bacalhau, os enchidos, o presunto, salmoura, salgadinhos, etc.. Ingerimos cerca de 20g/dia quando o recomendado é menos de 5 g/dia!

Este sal em excesso facilita o aparecimento de hipertensão arterial (sobretudo se essa tendência existe na família) ou agrava-a quando já existe, e contraria o efeito dos medicamentos hipo tensores. Contribui também para a falta de ar (dispneia) e para os edemas (inchaço das pernas ou do abdómen) de alguns doentes do coração. Para não estranhar muito o sabor e também para a família não protestar, deve reduzir a quantidade de sal por dia, de forma gradual, semana a semana, ao longo de um ou dois meses – deste modo será mais fácil a adaptação ao novo sabor. Aliás, havendo tantos temperos bons em Portugal porquê recorrer aquele que faz mal ao coração? Faça experiências culinárias não usando sal e adicionando ervas aromáticas, especiarias ou frutos: coentros, hortelã, poejos, alecrim, estragão, noz-moscada, mostarda ou pickles preparados em casa, limão, vinagre, fatias de laranja ou de ananás, cerejas, pimenta, açafrão, cebolinho, caril, piripiri e tantos outros.

2 – Reduza o álcool (vinho, cerveja, “bebidas brancas” ou “licores”) com que pretende acompanhar as refeições, “abrir o apetite” ou “facilitar a digestão”.

O álcool também ajuda à elevação da tensão (inibe um “factor relaxante” nas paredes das artérias) e favorece o cancro do esófago e da orofaringe, para além de facilitar acidentes. Contribui também para o aumento de peso, causa cirrose do fígado e até doenças mentais, tanto nos que bebem como nos futuros filhos.

Se bebe habitualmente às refeições, o conselho é não beber mais que 2 dl de vinho por dia.

3 – Aumente o consumo diário de vegetais: verduras, cereais, legumes e fruta. Os alimentos vegetais são ricos em vitaminas e sais minerais (incluindo algumas que são antioxidantes e altamente benéficas para a saúde), contêm muito menos calorias por grama (pelo que ajudam a controlar o peso), melhoram as funções intestinais (evitando obstipação, diverticulite, apêndicite, cancro do cólon) e reduzem parcialmente a absorção de colesterol.

Enriquecemos as refeições em variedade e sabor, ingerimos alimentos nutritivos e vitaminas antioxidantes (ajudando à boa saúde e a estar em boa forma) se usarmos os vegetais sob a forma de sopa, e/ou saladas, comermos mais pão de segunda (têm muita fibra), ou cereais ao pequeno-almoço e se o acompanhamento do prato principal for “verde” (carne com esparregado, peixe com feijão verde, etc.), e ainda comer fruta à sobremesa (idealmente a fruta come-se entre as refeições)

Se precisa de emagrecer coma cereais pela manhã, um prato de sopa de legumes meia hora antes de iniciar as refeições, coma salada entre a sopa e o prato e elimine os doces e os hidratos de carbono.

4 – Reduza as gorduras, sobretudo as “saturadas”, isto é as gorduras da carne (retire-as ou use carnes magras), o toucinho, a manteiga, o leite ou o queijo gordo, os ovos, os molhos, os fritos, etc: as gorduras são os alimentos mais ricos em calorias, pelo que favorecem a obesidade e a hipertensão, e também são as mais perigosas em fazer subir o colesterol; dê preferência a gorduras e óleos de natureza vegetal (azeite, milho, girassol, soja). Evite ao máximo os fritos e prefira alimentos cozidos ou grelhados. A gordura do peixe é também insaturada, portanto mais saudável.

Reduza ainda outros alimentos ricos em gordura tais como salsichas, presunto, “mayonnaise”, batatas fritas, chocolates.

Recordamos que “gordura é sempre gordura” e portanto o excesso engorda sempre. Elas são necessárias, facilitam a absorção de vitaminas A, D, E, e K, mas contudo, em excesso, mesmo as gorduras consideradas “boas” ajudam a subir o peso, o colesterol e a tensão arterial e parecem facilitar alguns cancros.

5 – Reduza o consumo de açúcar puro no chá, café, refrescos, bolos, chocolates ou rebuçados. Habitue-se ao sabor natural dos alimentos e das bebidas e se usar substitutos do açúcar, faça por variar.

Para quem pratica desporto com regularidade ou é mesmo atleta e precisa de mais calorias use então hidratos de carbonos complexos: batatas, arroz, farinhas, massas e pão de cereais. Evite o consumo de alimentos embalados e refeições congeladas de produção industrial; na maioria dos casos engana a “fome” e não têm qualquer qualidade nutritiva.

Saiba que a alimentação correcta e equilibrada também dita “alimentação inteligente” não só promove a saúde e o bem-estar como ajuda a evitar muitas doenças.

Veja mais em Olá Bem Estar

O bem estar passa por aqui!

O que mudaria na sua vida já?!

Category : Gratidão

Quantas vezes, mas quantas vezes, o maior susto, uma situação de perigo eminente, o risco de vida, a ameaça de morte, mudam instantâneamente a forma de estar de quem passa por esses momentos marginais?! É verdade! E de repente tudo muda, a perspectiva da vida altera-se num instante…

Subitamente passam pela cabeça inumeros pensamentos…tudo o que queria fazer e não fiz, aquilo a que dei importância e afinal não tem importancia nenhuma, a energia e tempo perdido em coisas sem sentido, enfim…

E perante uma nova chance o que mudaria já na sua vida?! Vale a pena pensar seriamente nisto: será necessário uma fatalidade para mudarmos a maneira de estar e de viver?!

Assista ao testemunho emocionante que Ric Elias deu no Ted depois de ter sobrevivido ao que podia ter sido uma tragédia; uma boa inspiração para quem ainda não entendeu que a vida é mesmo a maior benção de cada um.

Aposte mais no seu Bem Estar e no de todos os que o rodeiam, será certamente uma boa aposta.